Página Inicial

O Melhor Briefing do Mundo

Pra quem vive atrás de informações básicas para fazer um trabalho bem feito, não perca as esperanças.  Isso um dia ainda pode acontecer com você:

O Melhor Briefing do Mundo

/via swismiss

Afinal, o que foi o TEDxSP?

Depois de receber o convite formal, foi uma longa semana aguardando a chegada do TEDxSP. O mais difícil durante esses dias, além da óbvia espera, foi responder a pergunta que todos me faziam o tempo inteiro: “Mas afinal, o que é o TEDxSP”?

Tentar convencer as pessoas que passar o sábado trancado em um auditório era uma coisa bacana não iria dar muito certo. Tão pouco citar o renomado TED Global e seus palestrantes famosos, como Al GoreBill Gatesou Chris Anderson iria funcionar, afinal eles não estariam lá. E pra falar a verdade, no fundo nem eu sabia muito bem o que esperar. Mas tinha uma certeza que seria algo muito bom.

E aí o dia chegou. Junto com a Karla (acho que éramos um dos únicos casais por lá) fomos para o Teatro da Mooca com expectativa alta em busca dessa resposta.

Não vou perder tempo em falar do lugar e da organização. Tudo foi simplesmente perfeito. Mas essa perfeição passou despercebida frente a tudo o que encontramos nas palestras. Alias o termo palestra não representa muito bem o que era cada uma das apresentações de 5 e 15 minutos. Eram verdadeiras histórias de vida, de dedicação e inspiração.

Como chamar de palestra o relato apaixonado de Guti Fraga ou as histórias da apaixonante dona Adozinda, que aos 92 anos encantou toda a platéia com suas quadrinhas? Ou as intensas apresentações musicais, como a do jovem pianista Vítor Araújo e da belíssima composição dos pássaros apresentada por Jarbas Agnelli (Birds on the Wire).

Uma após a outra, cada palestra era responsável por uma pequena mudança em cada um de nós. Elas eram instigantes, como a definição de redes de Augusto de Franco, e inspiradoras, como a história de Osvaldo Stella, que se encontrou mesmo sem saber para onde ir. Reveladoras, como os relatos de Ronaldo Lemos e Regina Casé, e provocativas, como a de Paulo Saldiva, que mostrou que mudanças ambientais partem de cada um de nós. Tolerantes, como Antonio Veiga e Carlos Buby e sempre criativas, como Milena Boniolo e suas cascas de banana, e Roberta Faria e sua inovação no mercado editorial.

TEDxSP foi isso. Apaixonado, apaixonante, instigante, inspirador, revelador, provocativo, tolerante e criativo. Uma troca incrível de idéias e conceitos, deixando todos os egos e o lado comercial de fora da discussão.
Para mim, e para todos com quem conversei, ficou a sensação que temos a necessidade e obrigação de fazermos mais, muito mais mesmo. E não apenas fazer mais, mas fazer melhor.

E quem resumiu melhor esse sentimento foi Casey Caplowe, da revista GOOD, o único palestrante internacional, que saiu do Brasil impressionado e transformado com o que viu no TEDxSP: Não basta ser perfeito. Você precisa ser incrível.

TDX-SP Eu fui

Ferramentas sociais não são nada sem atitude

As redes sociais tornaram simples e fácil criar pseudo movimentos e engajamentos superficiais. Hoje, basta criar uma hashtag no twitter pra chamar de “movimento”.
É triste ver temas sérios e polêmicos tratados de forma tão rasa e servindo de trampolim para pessoas conquistarem espaço na mídia. Não deveria ser ao contrário?

Gosto de lembrar um evento acontecido em 1990, quando a internet ainda dava seus primeiros passos, ainda limitada ao mundo acadêmico, e a ecologia era vista apenas como coisa de pessoas doidas e desocupadas. Nessa época uma das minhas bandas preferidas, a australiana Midnight Oil, fazia shows pelo mundo cantando músicas com muitas críticas políticas, socias e ecológicas.

Foi nessa época que aconteceu um dos maiores acidentes ecólogicos que se tem notícia. O Petroleiro Exxon Valdez, da compania americana ExxonMobil, derramou uma quantia absurda de óleo no mar, matando, segundo estimativas, mais de 250.000 pássaros marinhos, 2.800 lontras marinhas, 250 águias, 22 orcas, e bilhões de ovos de salmão.

Ao invés de criar uma hashtag ou dizer para os amigos que estavam muito bravos,  Peter Garret, Rob Hirst e compania pegaram seus instrumentos e foram para Nova Yorque, onde fizeram um show de protesto em frente ao Exxon Building, como você pode ver no vídeo a seguir:

Uma verdadeira aula de como criar um protesto ou movimento. Fica aí uma lição pra muita gente que tem usado a internet como fim e não como meio. Use seu talento, sua habilidade e sua fama como alavanca, seja você mesmo sua hashtag. A internet é so mais uma ferramenta.

O melhor risoto de São Paulo

Quem me conhece bem sabe que um dos meus hobbies prediletos  é cozinhar. Aprendi muito do que sei com meus pais, livros, internet e principalmente na tentativa e erro. Tenho  até um blog de receitas que você pode encontrar nos links aí ao lado (logo, logo de casa nova). 

Adoro fazer massas,  pizzas e principalmente risotos. Módestia a parte, meus risotos são muito bons (melhor que muito restaurante por aí), e já receberam muitos elogios dos que tiverm o provilégio de experimentá-lo.  Mas, calma, não fiquei louco não. Não é do meu risoto que o título do post está falando.

Encontrei o melhor risoto de São Paulo semana passada, quando fui com minha esposa e meus pais almoçar para comemorar meu aniversário. Fomos ao Genova, uma pequena e discreta cantina Italiana localizada na Rua Lisboa, quase em frente do escritório da Simples aqui em Pinheiros.

Quem pediu o risoto foi a Karla. Um risoto ao funghi. Na verdade não tenho muito o que falar do risoto, díficil descrever. Ele estava aldente, cremoso na medida, acompanhado de um delicioso queijo ralado, simplesmente perfeito. Um daqueles pratos que te fazem repensar suas referências sobre comida. Os outros pratos estavam deliciosos tambem, mas o risoto…

Para quem quiser aproveitar, o Genova fica na Rua Lisboa 346 e funciona de segunda a sábado. Oferece almoço executivo (cerca de R$25,00 por pessoa com direito a couvert, entrada e prato principal), Jantar a la Carte e ainda realiza eventos especiais como roteiros gastronômicos e degustações de vinho.

Mais informações: http://www.restaurantegenova.com.br

E não se esqueça, eu trabalho ali ao lado e estou sempre disposto a dividir um almoço no Genova.